Arquivo do mês: novembro 2012

O poder do Social Commerce

As redes sociais na internet são, para cada vez mais pessoas, o principal meio de troca de informações. O e-commerce tem hoje cerca de 32 milhões de usuários, com perspectiva de crescer mais 25% em 2012. As mídias digitais, por inovação ou sustentabilidade, são claramente a realidade atual-futura da comunicação.

Essas três áreas, trabalhadas em conjunto, compõe o chamado social commerce.

No artigo de Sid Gantodra, no site Socialmediatoday.com, são 6 as dicas para esse mercado:

Social Proof: mostrar o que outros compraram ou estão comprando, ajuda um indeciso a se decidir

Authority: pessoas com posição de influentes levam uma comunidade inteira a acreditar em suas recomendações

Scarcity: consumidores têm o acesso em primeira mão e as promoções como uma das principais razões para se conectarem a uma marca nas mídias sociais

Like: “Pessoas fazem negócios com pessoas de que gostam”. Nada é mais verdadeiro que isso nas mídias sociais

Consistency: Quando enfrentam o incerto, consumidores tendem a não assumir riscos. Pelo contrário, eles mantêm suas antigas crenças

Reciprocity: Como seres humanos, temos um desejo inato de retribuir favores, independentemente de sermos solicitados a isso. Nos baseamos em generosidade e reciprocidade também para comprar

 

A consultora Regina Garrido completa o assunto, em seu artigo, dizendo que o social commerce vai muito além das mídias sociais. “Um dos grandes objetivos é a interação entre consumidores, e não apenas com a sua empresa (…) é uma conexão relacional que motiva os consumidores a trocar informações, participar e colaborar”.

Os resultados serão muito mais duradouros que o dinheiro de uma venda.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Como nos vemos

Se ser alto fosse sempre considerado bom, as pessoas se declarariam altas um maior número de vezes? E inteligentes? E bonitas? E negras?

No livro “E agora, vai?”, recém-lançado pelo publicitário André Torreta, um trecho sobre a população negra brasileira faz a gente pensar na influência das percepções coletivas na percepção que temos de cada um de nós:

“Na última década, revistas especializadas para negros foram lançadas e as prateleiras se encheram de produtos para essa população. Em 2009, pela primeira vez, uma negra (a atriz Taís Araújo) foi protagonista de uma novela das 8 na Globo, a Viver a Vida, de Manoel Carlos. O percentual de negros e pardos no total da população cresceu de 46% para 51%, segundo o IBGE. Nenhum desses fatos têm a ver com o aumento real da população negra, mas sim com o da autoestima, que leva um maior número de pessoas a reconhecerem-se como não brancas.”

Como pode uma pessoa se ver de maneira diferente em um e em outro momento? Que poder é esse que a sociedade (e o pensamento coletivo) tem?

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Decoração temporária

Uma ideia criativa para decorar a festa para o Halloween sem desperdício.

Pra que comprar descartáveis mil por causa dos desenhos se é só colar pequenos adesivos nos copos da casa?

      

A mesma ideia pode ser usada em festas infantis, corporativas…

Estes adesivos acima estão à venda na Artecolada.com.br.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized