Se reinventar

É o que o cinema está tentando fazer. Ou precisando fazer para manter o público.

Fui ver O Mistério de Hugo Cabret, em 3D, e foi um dos primeiros filmes que me fez ver que as três dimensões podem ser naturais, ser parte da história, não o mote dela. E que os filmes em 2D não terão mais muito tempo de vida.

Nos trailers, um do filme Os Pequenos Espiões 4, que será lançado em breve em 4D. Ao entrar no cinema, o público recebe uma cartelinha numerada. Cada vez que um dos números da cartela aparecer na tela, as pessoas friccionam o local na cartela e ela libera um aroma que corresponde à história.

O outro trailer foi do Royal Opera House, uma das mais tradicionais casas de opera da Europa, que irá transmitir suas apresentações nos cinemas da rede Cinemark.

E, por último, um clipe inteiro do Skank – da música “Presença”, com participação do rapper Emicida – que foi lançado nos cinemas também em 3D.

Novidades tem, resta saber se são essas as novidades que o público quer…

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s