Chame os comerciais!

Um ensaio publicado hoje, na Folha de S. Paulo, chamado “O prazer de ser interrompido”, de Benedict Carey, falava de dois estudos, baseados no comportamento de consumidores, que  mostravam como interromper uma experiência, seja ela boa ou ruim, pode torná-la significativamente mais intensa. Assim, os comerciais tornam os programas de TV mais agradáveis, uma pausa em uma massagem a faria mais revigorante e um tempo perdido em uma xícara de café deixaria o dia melhor.

E o que achei mais interessante: o mesmo vale no sentido contrário. Ouvir o barulho de um aspirador de pó, com pausas, só faz a situação parecer pior.

Em uma aula na graduação, um professor também usou um texto de Susan Sontag (Pensar contra si próprio: Reflexões sobre Cioran) para mostrar que a descontinuidade no nosso cotiadiano, no caso, quando dormimos, é o que mantém a vida possível, suportável. Faz sentido…

Mudando um pouco (bastante) o foco… Ok uma pausa pode até fazer bem para assimilar melhor um vídeo, mas quem aguenta o comercial dos vídeos no Terra TV ou o 1 milhão de comerciais (inclusive repetidos) em cada episódio de Lost? E depois não sabem por que (e esse é só um dos motivos) tanta gente assiste à série na web.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “Chame os comerciais!

  1. Toda toda essa Juliana, viu. hehehe

    Gostei do blog, vou ler sempre;)

    Beijinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s